Se o seu motor parar, onde você deve pousar?

Se o seu motor parar, onde você deve pousar?

Quando o seu motor falha e você não consegue chegar ao aeroporto, onde você deve pousar? Num campo ou uma estrada?

É uma pergunta que não é facilmente respondida, por isso decidimos fazer uma pesquisa sobre aterrissagens forçadas para ver onde estavam os perigos, sejam em campos ou em estradas.

Pesquisamos o banco de dados de acidentes do NTSB e selecionamenos 10 acidentes, 5 que eram de pousos em campo e 5 eram de pousos em estradas. Lembre-se de que, nosso objetivo não é criticar as aterrissagens ou o processo de tomada de decisão do piloto, mas sim identificar os perigos que cada piloto enfrentou ao tentar aterrissar em um campo ou estrada.

Primeiro Pouso em Campo – Cessna T210

Durante o vôo de cruzeiro a 12.000 MSL, o motor de um Cessna T210 começou a funcionar mal e o óleo cobriu o pára-brisa. O piloto desviou imediatamente para o aeroporto e o motor morreu pouco depois. Como o piloto não pôde chegar ao aeroporto, eles fizeram um pouso forçado em um campo. Durante o pouso, a asa direita atingiu o chão e o avião pilonou. Leia o relatório NTSB aqui.

Segundo Pouso em Campo – Thunder Mustang

O piloto de uma aeronave experimental Thunder Mustang teve um problema de pressão de óleo, forçando-o a pousar fora do aeroporto. Durante o pouso, o avião atingiu um poste de telefone com sua asa direita, girando a aeronave e danificando-a significativamente. Leia o relatório NTSB aqui.

Tereceiro Pouso em Campo – Rockwell 112A

Durante a subida, o motor de um Rockwell 112A começou a disparar. O piloto tentou um pouso fora do aeroporto em um campo próximo. Durante o pouso, o avião colidiu com um poste de energia, linhas de força e depois o solo. A aeronave parou invertida e foi destruída em um incêndio pós-colisão. Leia o relatório NTSB aqui.

Quarto Pouso em Campo – Cessna 180

Durante a descida para o pouso no aeroporto de Boca Raton, o Cessna 180 perdeu potência no motor. O piloto avistou um campo aberto para pousar e, depois de manobrar com sucesso em torno das linhas de energia, aterrissou no campo. Como o campo era macio e arenoso, o avião se inclinou, parou e capotou, danificando substancialmente. Leia o relatório NTSB aqui.

Quinto Pouso em Campo – Zenith Zodiak 601XL

Um piloto e instrutor de vôo praticavam decolagens e pousos. Durante uma das decolagens, o motor parou, forçando os pilotos a pousar em um campo próximo. Durante o pouso, o trem de pouso do nariz se separou e o principal do lado esquerdo foi danificada. Leia o relatório NTSB aqui.

Em seguida, pousos em rodovias

Primeiro Pouso em Rodovia – Cirrus SR 22

Em um voo de cruzeiro a 4.500 pés MSL, um Cirrus SR-22 começou a perder força. Cerca de um minuto depois, o motor parou completamente, forçando o piloto a pousar em uma estrada. Durante o pouso, o piloto manobrou a aeronave para se desviadar de um carro que se aproximava e esbarrou em um poste, danificando substancialmente o avião. Leia o relatório NTSB aqui.

Segundo Pouso em Rodovia – Vans RV 9

Um Vans RV-9 estava se aproximando do Aeroporto Regional de Hobart quando perdeu potência no motor. O piloto determinou que não podiam entrar em campo e optou por pousar em uma estrada próxima. Durante o pouso, o avião saiu da estrada e entrou em um campo, danificando a fuselagem. Leia o relatório NTSB aqui.

Terceiro Pouso em Rodovia – Just Aircraft Superstol

Logo após a decolagem de Murphy, Idaho, um Just Aircraft Superstol perdeu energia. O piloto iniciou um pouso forçado em uma estrada de terra. Durante o pouso, o avião bateu em uma cerca e virou o nariz. O avião foi significativamente danificado, no entanto, o piloto e o passageiro não sofreram ferimentos. Leia o relatório NTSB aqui.

Quarto Pouso em Rodovia – Piper Tripacer

Durante a decolagem, um Piper Tripacer perdeu e recuperou a potência por três vezes a aproximadamente 300 pés de AGL. O piloto liga o aquecedor do carburador e o motor para completamente. Como o avião estava além da pista, o piloto pousou em uma estrada, atingindo a asa esquerda em uma árvore. Leia o relatório NTSB aqui.

Quinto Pouso em Rodovia – Cessna 206 Float

Enquanto manobrava para pousar, um Cessna 206 Float começou a decolagem com dificuldade. O piloto pensou que poderia haver pouco combustível no tanque, então fez a troca . Como o 206 tinha apenas 500 pés AGL e não era capaz de pousar na água, o piloto optou por pousar em uma estrada. Durante o pouso, o 206 atingiu um linhas de energia. Felizmente, ninguém foi ferido, mas o avião foi danificado. Leia o relatório NTSB aqui.

Os riscos de pousos em rodovias e em campos


É claro que, não importa onde você decida pousar, você pode enfrentar alguns riscos muito sérios. Porém, em nossa pequena amostra do banco de dados NTSB, algumas coisas são claras.

Os riscos de pousos em campos

Os pousos em campo têm seu próprio conjunto de riscos. Um dos problemas mais comuns que vimos foi a condição da superfície dos campos. Eles tendem a ser muito macios ou muito irregulares, dificultando uma aterrissagem (especialmente com pneus de aeronaves pequenas). Há uma razão pela qual tantos aviões se inclinam durante o pouso em campo: os campos não se aproximam da superfície lisa e dura com a qual um piloto se encontra em uma pista.

Os riscos de pousos em rodovias

Os pousos nas estradas apresentam alguns riscos muito específicos. As estradas são tipicamente mais estreitas que uma pista, forçando você a fazer um pouso preciso em um ambiente de alta pressão. Além disso, a menos que você esteja aterrissando em uma rodovia duplacada, há uma chance de se aproximar do tráfego. Além disso, geralmente existem linhas elétricas próximas à maioria das estradas, e essas linhas não perdoam muito os aviões.

Então, qual é a melhor resposta quando se trata de um pouso forçado? Se você tem uma estrada aberta e pouco movimentada, provavelmente não é uma má opção para tentar. E se você tiver um campo aberto que não pareça muito áspero ou macio, essa pode ser uma opção melhor.

Quando se trata disso, não há solução perfeita para escolher um lugar para pousar. Tudo se resume a tomar a melhor decisão possível, com a altitude e os pontos de aterrissagem que você possui. E, finalmente, qualquer aterrissagem da qual você possa se afastar, especialmente nessa situação, é bom.

Texto original escrito por Colin Cutler, veja em https://www.boldmethod.com/blog/article/2018/02/if-your-engine-quits-where-should-you-land-road-or-field/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você não copiar o texto dessa página